domingo, 8 de maio de 2011

Pirilampo

O que mais gosto de ti é desse jeito pirilampo de quem brilha e se apaga. Dessa luz efémera que ora se acende em mim ora se apaga na lonjura. Dessa intermitência que acende o meu desejo e apaga todas as certezas.
O que mais gosto em ti é desse jeito vaga-lume. Quando vagar, eu ocupo. Quando me deres lume, eu acendo-me em ti.

2 comentários:

RedLightSpecial disse...

Que saudades da mestria das tuas palavras...
Os anos passam, a vontade de cá voltar permanece.
Um beijo com luz vermelha.

Ana disse...

Que bonitinhooooo :)