domingo, 23 de novembro de 2008

Direito do consumidor de amor/paixão

Artigo 1º
Direito à reparação de danos
1- O amante a quem seja fornecido amor/paixão com defeito, salvo se dele tivesse sido previamente informado e esclarecido antes da celebração do sentimento surgir, pode exigir, independentemente de culpa do fornecedor do bem, a reparação da coisa, ou a sua substituição, a redução do preço ou a resolução do sentimento.
2- O amante deve denunciar o defeito no prazo de meia-vida, caso se trate de paixão, ou de uma vida, se se tratar de amor, após o seu conhecimento e dentro dos prazos de garantia previstos. (…)

16 comentários:

mfc disse...

... da compra e venda!

cavaleira disse...

Art.2º - Serviço pós-venda

1) A qualquer amante assiste o direito ao serviço de pós-venda, principalmente ao que ama mais ou ao que necessita mais.
2) O amante que executou o resgate do contrato tem o dever de prestar o serviço de pós-venda, facilitando o período de transição.
3) As partes cessionárias do contrato têm o direito a usufruir da sua integridade emocional durante toda a vigência contratual perlongando-se pelo período de pós-venda.

Fenix disse...

Kiss while your lips are still red!

Regras e contratos para quê?
Só atrapalham!
Viva-se o amor e a paixão em toda a sua plenitude, HOJE!

Amanhã é outro dia!
O ontem já foi e nunca voltará!

Amemos muito, hoje, sem medos ou preconceitos, contratos ou regras!

VIVA A PAIXÃO!!!

cavaleira disse...

Fénix!
Claro que sim, "Amemos muito, sem medos ou preconceitos, contratos ou regras!" hoje e sempre! Isso não é questão...

Mas como é o pós-guerra, o pós-paixão, o pós-não-correu-bem??
Como mitigar rastos destruição desnecessária??
Como actuar para o bem todas as partes?

Fenix disse...

Cavaleira!

Não sou nem conselheira, nem psicóloga, nem guia espiritual, ou qualquer outra coisa que me dê qualquer crédito na área do aconselhamento "pós-guerra", "pós-paixão", "pós-não-correu-bem"...

No entanto, uma coisa eu sei:
A VIDA CONTINUA!
"The show must go on", como foi muito bem dito num post anterior.
Quanto mais tempo se gastar a pensar nas tristezas mais tristes ficamos e mais as perduramos.

Também já estive muito triste!
Também já tive muitos desgostos!

Há que fazer um pequeno (quanto menor melhor) período de luto (ou "nojo", como acho que até soa melhor nestes casos), "lamber as feridas" e seguir adiante!

Erguer a cabeça, endireitar os ombros, olhar para nós e gostarmos do que vêmos.
Depois olhamos em frente, com um sorriso nos lábios e os olhos abertos ao mundo que nos rodeia.

Há tanta beleza à espera de ser descoberta!
Tantas coisas boas de que podemos gostar e que nos podem melhorar!

E se quisérmos amar pessoas..., também há imensas a precisar de ser amadas!

Amemos!
Um dia acertamos!

Enquanto isso não acontecer, enquanto não acertamos, não lamentemos o amor dado!
Se démos é porque tinhamos para dar!
E dar é o melhor que há!
Podemos não receber em troca, mas isso já é outra coisa!
Não podemos cobrar. A pessoa que amamos não é obrigada a amar-nos.

Não há amor por contrato!
Nem garantias de amor eterno, ou com prazo de validade!
Isso não seria amor, seria obrigação!
E, quanto a mim, é impossível amar por obrigação.

Para mim, o verdadeiro AMOR é dar de forma incondicional, é querer o melhor para a pessoa que amo.
Se o melhor para a pessoa que amo for ficar longe de mim, na companhia de outra pessoa, pois que assim seja.
Ficarei feliz pela pessoa e, após umas (poucas) lágrimas por pena de eu não ser melhor aos da pessoa amada, sigo em frente e melhoro-me.
Para que da próxima vez eu seja a melhor, para alguém!

Abraço
Fenix

carteiro disse...

Será mais difícil de cumprir as leis ou o próprio amor/paixão com tudo o que há, por ali, de marginal? :)

cavaleira disse...

Fenix!
O contrato e os artigos são uma brincadeira e são trocadilhos, com intenções de nos melhorármos...

No entanto, concordo plenamente contigo!
Obrigada pela tua bela explicação confortante!

Não fosses tu eternamente renascer das cinzas...
:-)

Fenix disse...

Cavaleira!
Obrigada pelas palavras tão simpáticas :-))

E, também para os restantes "sofrentes de amores"...

Aqui fica uma pequena contribuição para animar.
As palavras também ajudam...

Beijo
Fenix

RC disse...

mfc,

Ainda assim contrato.

Xi.

RC disse...

Cavaleira,

Bom trabalho! Aguarda os próximos capítulos...

Xi.

RC disse...

Fenix,

O contrato de trabalho consiste num vínculo formalizado, escrito ou verbal, no qual se estipulam as condições e forma da relação entre amante e amado.

RC disse...

Cavaleira e Fénix,

Ao período de nojo segue-se o luto. Acredito que se possa voltar a amar, não melhor nem pior, simplesmente diferente. E é dessa morte que tentamos recuperar, da morte desse sentimento único, específico, dedicado a alguém específico numa altura e circunstâncias específicas.
Se temos potencial para reamar? teremos, pois com certeza. Se temos potencial para nos reapaixonar? Claro que sim. Nunca mais acontecerá da mesma forma.
Se cortam o rabo à lagartixa, ele volta a nascer, mas não será nunca o mesmo rabo cortado.

Espero que me entendam.

Xi.

RC disse...

Carteiro,

Continuo a acreditar que é preciso ética, respeito, leis e regras para os sentimentos também. Não acredito na anarquia das emoções. Lamento se fos desaponto.

Xi.

RC disse...

Fénix,

Bem-vinda, já agora.

Um xi.

Fenix disse...

RC,

Obrigada pelas Boas Vindas :-)

Já há alguns meses que acompanho os teus blogs, este e o outro a que agora não consigo aceder..., sabes qual. Já agora aproveito para deixar aqui o meu pedido, com muito jeitinho, ao "Abre-te Sésamo"... :-))

Só não tinha ainda comentado, porque ainda não tinha sabido o que dizer...
Os teus posts parecem-me transparecer que estás tão triste que eu fico "sem jeito"..., e sem palavras..., tenho receio de dizer alguma coisa que ainda piore a situação..., entendes-me não é?
Às vezes mais vale estar calada do que opinar no que desconheço.

De qualquer forma..., voltando ao "rabo da lagartixa" (gostei da analogia :-) ), tens toda a razão..., volta a crescer mas já não é igual e, quanto a mim, AINDA BEM!
Pois se antes tinha defeito (correu mal), queremos que o novo venha mais perfeito!

E vem!
Aprende-se sempre!
Só temos que estar atentos e disponíveis para assumir e modificar as nossas imperfeições, não aos olhos dos outros, porque é impossível agradar a toda a gente, mas sim aos nossos próprios olhos.

Não concordas?

Sê feliz!
"Abre-te" ao mundo, não te escondas, deixa o luto, põe-te bonita de todas as formas que te agradem e vais ver como da próxima ACERTAS!

Abraço
Fenix

RC disse...

Fénix,

E não é que o caminho se faz caminhando?