quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Ao H., pelo seu 30º aniversário

Gosto de ti. Como se gosta de estrelas cadentes. Como se gosta de ver o carro a engolir alcatrão. Como se gosta de beber um copo na carruagem que te dediquei. Como se gosta de escrever acerca de sonhos promonitórios e pessoas que não gostam de flores. Como se gosta de ouvir Frank Sinatra no rádio do carro. Como se gosta de Pedro Paixão. Como se gosta de risos. E de saltos altos presos na calçada das ruas da nossa cidade. Como se gosta de uma contra-capa do livro do Al Berto rascunhada e escrita em texto corrido. Como de gosta de luta (da tua e da minha). Como se gosta de golfinhos no prato. Como se gosta de café vianense com vista para a ponte sobre o Tejo iluminada. Como se gosta do CCB à noite. Como se gosta de cumplicidades. Como se gosta de alguém que se reconhece. Como se gosta de Absinto. Já te disse o quanto gosto de ti?
(O pacto manter-se-á sempre, sem ser preciso o sangue para selar. No matter what...)
(Para ti, porque ontem dei-te o livro e esqueci-me de te deixar o CD: a minha música )

6 comentários:

Vertigo disse...

Muitos parabéns a ele*

mfc disse...

E não me posso esquecer dos bailes de garagem ao fundo do quintal em que os gira discos portáteis só davam para 45 rotações!
... era preciso pôr disco a disco!
Eram tempos heróicos.

Abssinto disse...

Ena, o poder da amizade pura e dura! Já há tanto que não enfatizava (e tão justamente). E esbanjar glamour é assim uma coisa tão tentadora!

Bela chançon, boa, boa.

*

RC disse...

Vertigo,

Fui a primeira a dar-lhos. :)

Xi.

RC disse...

mfc,

Conta-me como foi. (Dou a mão à palmatória, a tua versão é fantástica!)

Xi.

RC disse...

Abssinto,

Esbanjar glamour é o nosso departamento. Já te disse o quanto gosto de ti?

Xi trintão*